Blog

Blog da TRELSA Transportes Especializados de Líquidos S/A

  • Página Principal
    Página Principal Aqui você pode encontrar todas as postagens do blog
  • Categorias
    Categorias Mostra uma lista de categorias deste blog.
  • Tamanho da fonte: Maior Menor
  • Imprimir

Álcool afeta coordenação motora e reflexo

alcool-afeta-coordenacao-motora-e-reflexoComo o álcool age no corpo?

A ingestão de álcool, mesmo em pequenas quantidades, diminui a coordenação motora e os reflexos, comprometendo a capacidade de dirigir veículos, ou operar outras máquinas.

Você já deve estar cansado de ouvir falar que álcool e direção não combinam , que são grandes causadores de acidentes e mortes no trânsito e consequentemente se tornam uma combinação fatal. Mas tem gente que continua insistindo em desobedecer a lei, correr riscos e colocar a vida dos outros em risco também. Por isso é bom continuar lembrando: se for dirigir não beba.

 

Uma vez que a bebida é ingerida, ela está presente no sangue. Isso significa que recursos como manter o estômago cheio, ou tomar banhos gelados, ou tomar um cafezinho, ou a utilização de outros meios, podem até diminuir a sensação de embriaguez, mas não conseguem retirar o álcool do sangue e não restabelecem os reflexos normais da pessoa.

 Qualquer quantidade de álcool ingerida, por mínima que seja, diminui os reflexos da pessoa, fazendo com que ela não tenha plenas condições para dirigir. O ato de dirigir exige pensamento rápido e muita atenção. A lei é muito clara: não é permitido nenhum nível de concentração de álcool por litro de sangue. Para não se arriscar a sofrer as penalidades previstas em lei e nem colocar sua vida e a de outros em risco, lembre-se que se for dirigir, não beba.

Pesquisas realizadas já comprovaram que os acidentes de trânsito diminuíram após a entrada em vigor da nova legislação.

É no intestino que 75% das moléculas de etanol passam para o sangue

1. O principal ingrediente das bebidas alcoólicas é a molécula de etanol. Assim que a pessoa toma um gole, uma pequena parte dessas moléculas já começa a entrar na corrente sanguínea pela mucosa da boca
2. Pelo esôfago, a bebida chega ao estômago. Até deixar esse órgão só 25% do etanol entrou no sangue. O resto só cai na corrente sanguínea quando a bebida chega ao intestino delgado - órgão cheio de vasos e membranas permeáveis
3. São necessários de 15 a 60 minutos para todas as moléculas de etanol entrarem na circulação e se espalharem pelo corpo. Esse tempo depende de fatores como a presença de comida no estômago e a velocidade com que a pessoa bebeu
4. Quando cai no sangue, as moléculas de etanol são transportadas para todos os tecidos que têm células com alta concentração de água - órgãos como cérebro, fígado, coração e rins
5. No fígado 90% das moléculas de etanol são metabolizadas - quebradas em partes menores para facilitar sua eliminação. Ele processa por hora o equivalente a uma lata de cerveja. 

No cérebro
1. Quando o etanol carregado pelo sangue chega ao cérebro, ele estimula os neurônios a liberar uma quantidade extra de serotonina. Esse neurotransmissor - substância que leva mensagens entre as células - serve para regular o prazer, o humor e a ansiedade. Por isso, um dos primeiros efeitos do álcool é deixar a pessoa desinibida e eufórica
2. Se a pessoa segue bebendo, outros dois neurotransmissores são afetados. O etanol inibe a liberação do glutamato, que por sua vez regula o GABA. Sem o controle do glutamato, mais GABA é liberado no cérebro. Como esse neurotransmissor faz os neurônios trabalhar menos, a pessoa perde desde a coordenação até o autocontrole.
No estômago
1. O etanol das bebidas irrita a mucosa do estômago, dificultando a digestão e aumentando a produção de ácido gástrico no órgão. Isso gera aquela sensação de enjôo e mal-estar .
2. O vômito funciona como um mecanismo de autodefesa, comandado pelo cérebro, contra a ação agressiva do álcool no estômago. A pessoa se sente mais aliviada após vomitar porque termina a irritação da mucosa pelas moléculas do etanol.
Nos rins
Quem bebe tem mais vontade de urinar. E isso não acontece só pela quantidade de líquido ingerido. O etanol age na hipófise, uma glândula no cérebro. Lá, ele inibe a produção de um hormônio que controla a absorção de água pelos rins. Com menos líquido absorvido, mais urina é eliminada.
No coração
Na ação do álcool nos rins a pessoa urina mais e um efeito colateral do excesso de urina acaba atingindo o coração. É que pela urina são eliminados minerais como magnésio e potássio que ajudam a manter o batimento cardíaco. Durante e após uma bebedeira o ritmo do coração pode apresentar alterações.
Duas latinhas de cerveja já provocam os primeiros sintomas no cérebro. Levamos uma hora para processar 14 mg de álcool, o equivalente a: 350 ml de cerveja ou 150 ml de vinho ou 40 ml de uísque

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

Visitante 21/11/2017